Pág. Inicial Notícias Santuário da Penha reabriu portas no dia 10 de Maio

Santuário da Penha reabriu portas no dia 10 de Maio

Santuário da Penha reabriu  portas no dia 10 de Maio

Depois de quase dois meses encerrado, o Santuário da Penha reabriu as suas portas no passado dia 10 de Maio, com um novo horário adaptado.

Em concordância com as recomendações das entidades competentes e da Direcção Geral da Saúde foi possível voltar a receber todos os que pretendiam visitar o espaço religioso, inicialmente num período mais reduzido, entre as 15h00 e as 17h00.

Os fiéis puderam visitar o templo religioso, situado no cimo da Montanha da Penha, mas respeitando todas as orientações de distanciamento social das pessoas nos bancos, sendo obrigatório manter uma distância mínima de 2 metros e sendo exigido o uso de máscara no interior da Igreja, no sentido de se assegurar a protecção mútua.

Aos visitantes foi pedido que não esquecessem a lavagem prévia das mãos e as portas do Santuário da Penha estão permanentemente abertas, para que os fiéis não toquem nas portas ou qualquer outra superfície.

À entrada e à saída da igreja foram colocados dispensadores de gel desinfectante para utilização de todos os visitantes. 

Apesar de todas as medidas de proteção e salvaguarda adotadas os responsáveis da Irmandade da Penha relembram que em tempos de pandemia covid-19 não se podem responsabilizar por possíveis contágios, apelando ao cumprimento rigoroso de todas as recomendações para salvaguarda da saúde de todos.

Recorde-se que a 20 de Março a Irmandade da Penha, no sentido de minorar o potencial de contágio por Covid-19 tomou a difícil decisão de encerrar todos os locais fechados do culto religioso na montanha - Santuário, Gruta da Senhora do Carmo, Capela de S. Cristóvão e Capela de Santa Catarina. Tiveram igualmente que ser encerradas as casas de banho públicas, parques de estacionamento e plataforma do Pio IX.

As decisões tomadas foram complexas e com consequências que serão sentidas por muito tempo, no entanto a prioridade foi priorizar e salvaguardar a integridade física de todos, tendo o bem comum prevalecido sobre qualquer outro.